Google+ Followers

Pesquisar neste blog

segunda-feira, 23 de abril de 2012

SOBRE O DIA DO ÍNDIO


Dia do Índio - 19 de abril

Não poderia deixar de postar aqui o conteúdo abaixo.
Fica aqui um texto para profunda reflexão.
Paz,
Fábio

______________________________________

19 de abril - Dia do Índio! Triste maneira de comemorarmos este dia: de um lado, a omissão e a inércia da Funai, latifundiários e a mídia "vendida" a distorcer os fatos. De outro, várias etnias indígenas unidas no mesmo ideal, expondo uma chaga da sociedade brasileira. (M.H.)
______________________________________

"Admito que há homens brancos bons, mas em proporção menor que os maus; os maus são mais fortes porque governam. Fazem o que querem. Escravizam os que não são de sua cor, ainda que tenham sido criados pelo mesmo Grande Espírito que nos criou. Não se pode ter fé em suas palavras. Eles pegam o nativo pela mão dizendo: Meu amigo! Meu irmão! e ao mesmo tempo o destroem." (Chefe da tribo Delaware)
_____________________________________

Foto: ilustração


SOBRE O DIA DO ÍNDIO

Dar licença Rainha da floresta, Eu vomitar minhas palavras aqui nesse meio de comunicação, digo vomitar porque talvez o que eu escreva seja diferente do que muitos dos meus amados amigos e amigas esperam de mim.

Parando para pensar um pouco mais sobre essa data, vou chegando as seguintes conclusões: Como a nossa sociedade é falsa, hipócrita, pois uma sociedade que desconhece suas raízes, ancestralidade, é uma sociedade sem força, da mesma forma que uma árvore morre quando são tiradas suas raízes, assim somos nós quando nos esquecemos de onde viemos.

Para piorar a situação, desde criança sou obrigado na escola, no dia 19 de abril a participar de trabalhos, aonde sou pintado, colocam umas penas de papel na minha cabeça e aí fico como um palhaço da floresta, comemorando o dia do índio e aí eu pergunto: Porque nosso sistema educacional insiste em comemorar uma festa com toda uma falsidade de reconhecimento aos povos indígenas, quando na verdade a realidade do dia-a-dia é outra?

Tá aí uma coisa que esse meu racional caboclo não consegue entender: Como podemos comemorar o dia do índio sendo que quando os “colonizadores” chegaram, eles já estavam aqui, ou seja, os estrangeiro chegam em nossa Pátria tomam as terras de meus ancestrais e como gratificação, escolhem um dia no calendário cívico para dedicar aqueles que estão a margem da sociedade, digo margem porque para muitos os indígenas são marginais, vivem isolado de um sistema escravo.

Quando será que a sociedade vai reconhecer em sua maioria, ainda bem que existem poucos que reconhecem, que em vez de marginais, esses povos são na verdade, verdadeiros guardiões de riquezas do criador, são protetores de plantas que podem nos ajudar futuramente com as mudanças planetárias, pois sem sombra de dúvida, se a coisa continuar assim, duvido que as farmácias vão dar conta, do que vai aparecer.

Um dia, eu ainda serei capaz, de receber do criador força, amor no coração e sabedoria o suficiente para mostrar meu amor e gratidão por todos os indígenas, pela minha ancestralidade, sendo mais um defensor desses guerreiros da paz e da minha mãe floresta, pois quando criança, eu não sabia a riqueza que era a floresta, hoje um pouco mais crescido, reconheço e presto reverencia a minha mãe Natureza.

Eu espero por um milagre e com certeza, com a consciência de ser um jovem e não mais uma criança, como muitos políticos e até mesmo alguns engravatados que se dizem defensor da natureza e não passam de uns verdadeiros exploradores dos mais simples e humildes e pra piorar, ainda usam uma doutrina, querendo fazer silenciar os sons dos passarinhos, o maracá de um caboclo, jogarem no ralo, na água, a riqueza que deve ser mantida de pé.

Um dia a nobreza de meu coração será manifestada plenamente, por enquanto ela está sendo manifestada aos pedaços, como por exemplo, hoje, através desse pequeno texto, mas ela vai crescer e não tenho dúvida, muitos dos meus amigos e amigas irão me apoiar.

Grandes abraços a todos os irmãos e irmãs que não somente nesse dia, mas todos os dias lembram de mim com muito carinho e amor.

Dedico este texto a todos indigenas que foram roubado e massacrados e ainda continuam sendo nos dia de hoje e dedico também a amiga Roberta Andrade por ter me lembrando de escrever um texto sobre a data de hoje. Valeu amiga!!!

Elves Bari Bake



Colaboração: Marcelo Henrique (Poeta).
Publicação autorizada pelo autor.

Mantenha o conteúdo: http://fabioibrahim.blogspot.com.br/


 .

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Vídeos

Loading...