Google+ Followers

Pesquisar neste blog

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Brincadeira do compasso invade escolas e Internet


No YouTube, um dos vídeos mais acessados que mostram adolescentes brincando com o compasso | Foto: Reprodução da Internet



Jogo vira febre na rede. Vídeos com 1 milhão de acessos mostram alunos jogando em sala de aula

POR MARIA LUISA BARROS

Rio - Uma prática perigosa virou febre nas escolas e nos sites de relacionamento na Internet. A brincadeira do compasso, variante do copo, em que um grupo de adolescentes se reúne, geralmente nos intervalos entre as aulas, para obter respostas ‘do além’, vem motivando vídeos, fóruns de discussão no Orkut, blogs e MSN. Uma comunidade do Orkut — ‘Eu já joguei jogo do compasso’ — tem 1.356 membros. No Youtube, apenas dois vídeos já fizeram mais de 1 milhão de exibições.

No YouTube, um dos vídeos mais acessados que mostram adolescentes brincando com o compasso | Foto: Reprodução da Internet

Conforme mostrado por O DIA no domingo, jovens de uma escola particular em Nova Iguaçu entraram em transe depois de participar do passatempo que, segundo psicólogos, parapsicólogos e espíritas, não é nada inofensivo. “A maioria dos adolescentes não suporta as emoções e pode desenvolver distúrbios psíquicos graves”, alerta a doutora em Psicologia Clínica da PUC-Rio, Teresa Negreiros.

De acordo com ela, é na escola que os jovens são iniciados na brincadeira porque é lá que eles buscam a identificação com o grupo. “Eles vivem a transição do corpo infantil para o adulto, e os pais perdem a condição de heróis. Por isso, eles tendem a buscar com os colegas respostas para seus medos e desejos”, explica Teresa.

A estudante Gisele, 19 anos, participou do jogo durante dois anos. “Jogava todos os dias, na escola e em casa. Não conseguia parar. É um vício”, conta ela, que deixou de brincar depois que passou a ter alucinações. “Via vultos, escutava passos. Na escola, o compasso se mexia entre o A e o H como se estivesse rindo e as luzes das salas se apagavam. Fiquei muito perturbada”, diz.

Perigo na rede: à direita, comunidade com mais de mil membros no Orkut. Site (E) explica o passo a passo | Montagem com fotos de reprodução da Internet
Perigo na rede: à direita, comunidade com mais de mil membros no Orkut. Site (E) explica o passo a passo | Montagem com fotos de reprodução da Internet

A brincadeira tem até passo a passo online que exibe vídeos produzidos em ambiente escolar. Para a parapsicóloga Márcia Cobêro, do Centro Latino Americano de Parapsicologia (Clap), os jovens são levados pela curiosidade e cabe às escolas orientar. “Não existe espírito. Se fossem do além, não haveria necessidade de colocar a mão sobre o compasso. São os próprios jovens que movem de forma inconsciente”, diz.

Em vídeo, jovens passam mal

Com uma folha de papel, os adolescentes desenham um círculo grande e nele as letras de A a Z, os números de 1 a 12, e as palavras ‘sim’ e ‘não’. Um dos jovens apoia o compasso como se fosse usá-lo e os demais fazem perguntas. Em um vídeo na Internet, uma adolescente começa a passar mal quando o instrumento se mexe em direção às letras. Pelas regras, só se pode deixar o jogo se o compasso parar no ‘sim’. Muitos esperam horas até obter ‘permissão’.

Para a mestre em Psicologia Escolar Luiza Elena do Valle, cabe à família e à escola, não proibir, mas orientar sobre o perigo do jogo. “A curiosidade nessa fase é normal. Pais e professores devem estar próximos. Precisam acompanhar e prevenir dos riscos que existem”, aconselha a psicóloga.

Fonte: O DIA

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Vídeos

Loading...