Google+ Followers

Pesquisar neste blog

domingo, 21 de março de 2010

Um depoimento sobre o Santo Daime (ayahuasca)

Recebi por e-mail da amiga Bete, de Itatiba-SP.
Como pude participar do "ritual" do Santo Daime (ayahuasca) por "8 vezes", tenho uma visão muito parecida com a desse texto... (veja aqui).


VIVA A MÃE NATUREZA



Um depoimento sobre o Santo Daime (ayahuasca)
A melhor explicação que se poderia dar diante de tanto sensacionalismo...

Por 20 anos eu formei minha família, trabalhando como agente de viagens. Nos últimos anos conduzi Workshops no Brasil usando uma planta ancestral, “medicina” ou chá, a qual tem sido usada por tribos indígenas da Amazônia há milhares de anos. Essa bebida é chamada Ayahuasca e contém uma poderosa substância psicoativa e visionária chamada DMT (Dimetiltriptamina) . A DMT é encontrada em todas as coisas vivas, incluindo nós, humanos.
Quando descobri a Ayahuasca, logo entendi que continuaria sendo um agente de viagens, mas agora mostrando às pessoas como fazer jornadas interdimensionais. Em nós, humanos, a DMT é produzida na glândula Pineal e pesquisas recentes indicam que a Pineal irá produzir DMT em grandes quantidades em pelo menos dois momentos das nossas vidas: no nascimento e na morte. Talvez ela prepare a chegada e a partida da alma. Pessoas que experimentam “situações de quase morte” – vendo luzes fortes, portais, ícones religiosos – relatam efeitos semelhantes aos das experiências com DMT. O processo visionário da Ayahuasca também traz o efeito de permitir que uma pessoal se resolva e se cure espiritual, psicológica, emocional e fisicamente. O chá é referido como “enteogênico”, o que significa “contém Deus dentro".
Muito provavelmente parece (minha crença pessoal) que o cérebro humano é de alguma maneira atrofiado, e que o processo xamânico de re-introduzir DMT usando Ayahuasca tem o efeito de “ligar” a Pineal de uma maneira extraordinária. Outros estudos foram conduzidos e sugerem que os cérebros pós-Ayahuasca encontram-se literalmente “re-configurados” (novas sinapses).
As moléculas de DMT são similares às moléculas da Serotonina e se encaixam nos mesmos receptores do cérebro. Isto é extraordinário porque, assim como a Serotonina, a DMT é uma chave específica que naturalmente se encaixa nesta “trava” do cérebro. Nota-se, nos diagramas abaixo, que as estruturas da DMT e da Serotonina são muito similares. Ambas se encaixam nos mesmos neuro-receptores do cérebro. As estruturas moleculares do DMT e da serotonina. A Ayahuasca é uma poção muito interessante e complexa feita a partir de duas espécies de plantas amazônicas: um arbusto chamado Psychotria Viridis (Chacrona) e um cipó chamado Banisteriopsis Caapi (Mariri/jagube) .
A Chacrona é uma planta fonte de uma quantidade relativamente grande de DMT, que é a principal fonte da experiência visionária. Todavia a DMT é inativa quando administrada oralmente porque é destruída no estômago pela enzima digestiva Monoamina Oxidase (MAO).
O Jagube contém apenas alcalóides mediamente psico-ativos, especificamente Beta-carbolinas (Harmina, Harmalina e Tetrahidrahamina) , os quais agem como inibidores de re-absorção da Serotonina pelo organismo, assim como têm propriedades pró-Dopamina. A Serotonina e a Dopamina são substâncias produzidas pelo organismo humano, similares a hormônios, e são poderosos neurotransmissores que criam estado de alerta, assim como colocam a pessoa num estado psicologicamente receptivo. Adicionalmente, esses alcalóides também agem como poderosos inibidores da enzima MAO. O interessante sobre a Ayahuasca é que, enquanto a DMT é inativa quando tomada oralmente e sozinha, os inibidores de MAO do chá permitem que a DMT permaneça intacta e ultrapasse as barreiras do sangue e do cérebro.
Assim, você tem a DMT se encaixando aos receptores do cérebro, o que produz visões, enquanto as propriedades pró-Serotonina e pró-Dopamina do chá criam um estado de alerta e receptividade.
Além disso, as propriedades de cura física da Ayahuasca são extraordinárias, para dizer pouco. A Ayahuasca tem sido investigada como um possível tratamento eficaz para o Mal de Parkinson e para depressão , por exemplo.
Já em 1928, uma substância natural chamada Banisterene foi usada com sucesso no tratamento do Mal de Parkinson. Banisterene é também um antigo e bem conhecido produto de plantas chamado Harmina. Harmina é o componente Beta-carbolina mais presente na Ayahuasca.
Infelizmente o uso de Banisterene deixou de ser usado no tratamento do Mal de Parkinson, à medida que a indústria farmacêutica evoluía no estudo de drogas sintéticas que são patenteáveis, diminuindo o interesse por produtos naturais – que não o são. Mais interessante ainda é o fato de que muitas das drogas experimentais usadas atualmente para tratar o Mal de Parkinson, que podem ser encontradas na lista da Associação da Indústria Farmacêutica Britânica, contêm poderosos inibidores de MAO, assim com possuem propriedades pró-Dopamina.
Jeremy Narby, no seu livro “A Serpente Cósmica”, comenta: “Aqui estão pessoas sem microscópios eletrônicos que escolheram, entre 80.000 espécies de plantas amazônicas, as folhas de um arbusto contendo um hormônio cerebral, as quais eles combinam com um cipó que contém substâncias que inativam uma enzima do trato digestivo, o que de outra forma bloquearia o efeito.

E eles fazem isso para modificar seus estados de consciência. Isso ocorre como se eles soubessem sobre as propriedades moleculares das plantas e a arte de combiná-las. E quando qualquer um os questiona sobre como eles tomaram conhecimento dessas coisas, eles dizem que "esse conhecimento adveio diretamente das plantas”.

Ayahuasca é a Universidade de Gaia. A Natureza alcançando os humanos.
A metáfora da “escola” na verdade não é uma metáfora de forma alguma. Tudo na Ayahuasca é sobre aprendizado. Durante uma cerimônia com a Ayahuasca, você começa num lugar e termina em outro. A próxima cerimônia traz você de volta ao lugar que você deixou. As aulas começam tal hora... o sino toca... e a “mãe-Aya” dá a lição do dia!
Falando de forma geral, as lições são universalmente profundas. As propriedades de cura e expansão de consciência da planta-mestre levam-nos a uma magnífica experiência de quem nós somos. A Ayahuasca facilita a resolução do ser humano. Resolver a condição humana requer uma consciência grandemente expandida sobre questões fundamentais: De onde viemos? Onde estamos? Para onde vamos? e Quem somos?
Uma das lições da experiência com a Ayahuasca é uma percepção bastante expandida do quê nós crescemos chamando realidade. O véu é levantado. Nós percebemos em 3-dimensões, com certeza. Mas nossa percepção se expande para além, para abranger uma realidade muito maior que “contém” a realidade 3-D. Essa realidade expandida, ou talvez realidade multi-D, não é restrita pela linha do tempo ou mesmo por causa-e-efeito. A percepção de multi-D não é algo que você fica verdadeiramente ciente apenas. Você fica também, de alguma forma, re-codificado com a memória dela. Muito tempo após a experiência com a Ayahuasca ter terminado, você se lembra do caminho de volta à extraordinária quietude desse lugar que você já habita. Você o habita como o seu Eu Superior.
Eu mencionei a questão: “Quem Sou Eu?” Os seres humanos gastam seu seus melhores esforços para viver suas vidas, para superar inseguranças, para mascarar sua dor e para ganhar status e aceitação. Infelizmente o verdadeiro Eu de um indivíduo permanece quase que universalmente oculto. Nós definimos quem somos pelo status que temos, pelo quê fazemos e por quem estamos casados. A integração do eu (humano) com o Eu Superior (divino) é uma conseqüência natural de uma percepção expandida. A partir desta integração emerge o verdadeiro Eu. O “cérebro visionado”, agora totalmente funcional, elimina as questões baseadas no medo, que o ego constrói – as questões que são a praga da condição humana. A máscara do nosso falso-eu, o” ego “ se torna irrelevante. Não é mais necessário impressionar os outros ou se envergonhar de quem somos. Nós nos tornamos resolvidos na nossa humanidade e na nossa divindade. E isto não é uma coisa para se pensar. É uma coisa para se saber. E esse saber é uma experiência atemporal para os nossos corações. O centro do coração se expande. Nós nos movemos em direção a uma nova experiência humana que é quase como os súbitos sentimentos do coração. Compaixão, intuição, percepção extra-sensorial, entrega, verdade, são todos resultados de trazer o coração intuitivo como equilíbrio para o cérebro analítico. Pesquisa recente sobre o próprio coração revela que ele contém um expressivo sistema neurológico que de fato age como um segundo cérebro. Esse “cérebro-coração” funciona coerentemente com o cérebro, à medida que o envia quantidades massivas de informação. O coração comunica com o cérebro através do sistema límbico contido no último. E a glândula Pineal (responsável pela produção da DMT) é adjacente ao sistema límbico.
Muitas pessoas acreditam (esperam) que a humanidade está às portas de um extraordinário salto. Esse salto, essa mudança, é realmente sobre o retorno da Energia de Deus à Terra. A cura está vindo para a humanidade a partir da natureza, a partir da Mãe-Terra, de Gaia. O Espírito da Terra, ou Gaia, está literalmente trabalhando com os seres humanos para a conclusão desta era e o advento de uma nova. A Natureza está trabalhando para curar a si mesma.
Terrance McKenna disse: “Uma coisa é quando você se torna interessado nas plantas (Ayahuasca) e outra coisa é quando as plantas se tornam interessadas em você.” De alguma forma, o mistério dessa mudança de era está contido no fato de que as plantas são sensitivas. Elas possuem uma consciência coletiva. Algumas plantas nos nutrem. Algumas são usadas para curar nossos corpos físicos. E outras plantas são remédios (medicina) para a alma. Elas nos ensinam o caminho de volta para o divino em nós. Elas infundem nossa consciência com a consciência da natureza.
O problema real com a humanidade é que nos esquecemos. Através das eras, nós concordamos em viver em uma prisão. Nós nos esquecemos quem somos, e nós nos esquecemos da eterna paisagem que habitamos.

A Ayahuasca está aqui para mudar tudo isso.

PAZ E LUZ

MITAKUYE OYASIN



A única coisa que me deixa muito triste em meio a tanto sensacionalismo, é que muitos institutos irresponsáveis usam o Santo Daime misturados com drogas fortíssimas e viciantes, chamam de Santa Clara e Santa Maria, mas por isso não deixam de ser maconha e cocaína... contribuem apenas com os ataques da mídia e a ignorância das pessoas... é uma pena...

Que Deus abençoe à todos e lhes mostre o caminho perfeito e divino de cada um... NAMASTÊ




*Não sei a fonte do texto original.

4 comentários:

  1. Quando tomei ayahuasca pela primeira vez me senti muito bem. O lugar é sério e as pessoas são bastante acolhedoras.
    Na segunda e última vez fui em outro lugar, mas não era "sério". Nos intervalos, eles pitavam a tal da Santa Maria: Fumavam maconha. Sai de lá com a cabeça confusa, mas me recuperei. Se eu voltar a tomar a ayahuasca não quero, em hipótese alguma, que o lugar do qual irei buscar esta força (que na verdade vem de dentro seja mais um sem seriedade e preocupação para com os visitantes. Eu fiquei indignado! E temo ir novamente.

    ResponderExcluir
  2. Meu nome é Monica.
    MInha experiência com a Ayahuasca me deixou isso na mente:

    O Brilho do Amor chegou
    Existe um brilho para quem acredita no Ouro
    E quando o recebemos percebemos que somos Estrelas
    Com um beijo Ele se doa e comigo se une
    Existe um gurerreiro que olha as flexas
    Porque sabe o sentido de sua direção
    Em uma árvore a neve do verão brilha
    E os nossos pensamentos se tornam lúcidos
    Meu espírito sorrir e não quer voltar
    E junto com meus pensamentos, caminham por aneis de fogo
    O vento avisa que a Força chega
    É só cantar a canção e senti-la
    A música chama para juntar-se a ela
    E em minha cabeça sussuram palavras de mel
    E a Força nos leva até a lucidez
    Quero parar tudo e gravar a voz da Força
    Não fique assustada
    É apenas a Força deixando tua estrada clara e evidente
    Um jarro de amor me banha de carinho
    Não sou corpo, sou alma,
    Agora sou maior que minha alma
    Todos conhecem a Divina, que brilha como luz e toca meus cabelos
    Somos todos um
    A floresta viva, hoje amanhece sorrindo

    ResponderExcluir
  3. O Texto é muito bom!
    Só o achei bem desnecessário o comentário no final sobre "drogas fortíssimas"
    Isso de usar cocaína e chamar de santa clara é pura lenda, Santa Maria tudo bem, vários centros usam, eu até acho meio errado chamar cannabis que vêm do Tráfico de Santa Maria mas falar que é um droga fortíssima e viciante foi um baita exagero! É uma planta medicinal e psicoativa que dentro do Daime também é usada espiritualmente!
    Sem essa visão radical aí que remete ao psicopata do Gideon, que persegue o Padrinho Sebastião e o Cefluris.

    ResponderExcluir
  4. Muito bom o texto!
    Só achei bem desnecessário o comentário no fim sobre "drogas fortíssimas".
    Acho pura lenda essa história de centros que usam cocaína e chamam de Santa Clara.
    A Santa Maria tudo bem, é bem cultuada em vários centros, acho errado também chamar cannabis que veio do tráfico de Santa Maria, mas se pudesse ser cultivada qual o problema? é também uma planta medicinal e psicoativa usada espiritualmente dentro do Daime...não faz sentido pessoas que usam um psicoativo forte como o DMT chamar a cannabis de droga fortíssima.
    Éssa história de santa clara eu só ouvi através do psicopata do Gideon que persegue o legado do Paddrinho Sebastião e Cefluris!
    Fora isso o texto é legal!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Vídeos

Loading...