Google+ Followers

Pesquisar neste blog

sexta-feira, 31 de julho de 2009

O PODER DA MENTE: Marketing tecnológico


Achei interessante e resolvi postar aqui...


Quando fazemos compras num supermercado, a escolha de um produto é fruto de um acto quase reflexo, de um processo instantâneo e praticamente automático do qual só nos apercebemos quando o nosso cérebro activa os mecanismos de análise do nosso historial de consumidores e atenta nas experiências concretas que conduziram à escolha deste ou daquele produto.

É um processo espectacular que remete para a complexidade da mente humana, para o poder do subconsciente e para as aspirações dos consumidores. O tempo que decorre entre as escolhas passa num abrir e fechar de olhos. As decisões são tomadas em menos de 20 segundos, tempo durante o qual o olho humano se movimenta a velocidades muito elevadas fazendo um ‘scan' das prateleiras do supermercado. Mas esta não é uma decisão automática. Os nossos olhos detêm-se cerca de 50 vezes em pontos concretos, fixando as pupilas nesses mesmos objectos por períodos de tempo que vão dos 200 aos 600 milésimos de segundo.

Estas "paragens" são motivadas por cores, formas, preços e mensagens publicitárias que nos levam encher o carrinho de compras. A lista de compras é complementada por um ou outro capricho extra, por tentações a que nem o consumidor mais rigoroso consegue resistir. A culpa deste acto repentino de estender a mão para tirar algo das prateleiras e colocá-lo depois no carrinho é do marketing que, através reclames contínuos, tenta atrair a atenção do consumidor e persuadi-lo a comprar um produto e não outro. O sucesso comercial de um produto é assegurado em boa medida graças a estas técnicas.

Os estudos publicitários dizem-nos que entre 70 a 90% das decisões de compra são tomadas no ponto de venda. Mas ainda são poucas as empresas que recorrem às novas tecnologias e à informatização dos dados, tecnologias estas que avançam com novos desafios para os especialistas. Um destas tecnologias é a do ‘eye-tracking' (seguir o movimento dos olhos) e que permite exercer e controlar o processo de decisão dos clientes. Saber para onde o consumidor canaliza o seu olhar instantes antes de esticar a mão e retirar um produto é uma grande vantagem para o vendedor.

Esta tecnologia tem um impacto notório sobre as vendas, uma vez que permite descobrir que variáveis influem na escolha de um produto em detrimento de outro, quais as melhores disposições, que embalagens despertam mais a atenção ou que promoções despertam mais facilmente o olhar do consumidor. Trata-se de algo semelhante à tecnologia que dá pelo nome de "realidade aumentada" que, para além de despertar a atenção do consumidor, retém também o seu olhar graças à espectacularidade da imagem que projecta em 3D. Esta realidade aumentada, com experiências já testadas em apresentações publicitárias, converteu-se num sucesso, uma vez que permite que o consumidor interaja com imagens em 3D. Isto consegue-se imprimindo formas ou símbolos numa folha, que, ao serem colocadas frente a uma ‘webcam' projectam a imagem captada pela câmara num ecrã. Em seguida, e recorrendo a efeitos em 3D, é possível aumentar o realismo dessa imagem real recorrendo a um computador. Uma vez nessa realidade aumentada é possível interagir com o holograma, passando simplesmente a mão por cima da imagem, tocando-lhe ou empurrando-a... As possibilidades são infinitas, como aconteceu com o mecanismo que a Nissan desenvolveu na Austrália e que permite conduzir um 370Z com um volante previamente impresso, ou como acontece nos McDonalds no Japão, onde, depois de comer num destes restaurantes o cliente recebe um cartão (com um símbolo impresso para poder interagir frente a uma ‘webcam'), podendo brincar depois com aplicações nas quais os protagonistas são McNuggets de frango. Através dos movimentos que geram e da sensação de futuro que provocam, os clientes ficam assim boquiabertos com estas experiências que usam a tecnologia e que vão para além dos videojogos.

www.daemonquest. com


____

Alfredo Revuelta, ‘General manager' da Daemon Quest Portugal



FONTE AQUI

quinta-feira, 16 de julho de 2009

Teóricos da conspiração sobre ida à Lua soltam o verbo nos EUA


Cineasta americano diz ter sido perseguido por negar viagem ao astro.

Astronauta que fez a jornada diz que falha está na educação.


John Schwartz Do 'New York Times'


Eles estão entre nós. Aparentemente, são iguais a mim e a você. Muitas vezes, você nunca conhece a verdadeira natureza deles – exceto quando, ocasionalmente, eles se sentem obrigados a falar. Pegue um exemplo do Lens, o blog de fotografia do "New York Times". Um post recente, "Dateline: Space", mostrava imagens incríveis da Nasa, incluindo a foto icônica de Neil Armstrong sobre a superfície lunar. O segundo comentário sobre o post dizia, simplesmente: "O homem nunca chegou à Lua". O autor do comentário, Nicolas Marino, disse ainda: "Acho que a mídia deveria parar, de uma vez por todas, de divulgar algo que foi uma fraude completa e começar a documentar como eles mentiram descaradamente para o mundo todo".

Foto: Nasa/The New York Times
Neil Armstrong e Buzz Aldrin procuram rochas no Texas em 1969, como preparação de sua ida ao espaço (Foto: Nasa/The New York Times)


Quarenta anos depois de que o homem tocou, pela primeira vez, a poeira sem vida da Lua – eles pisaram. Juro. É verdade –, pesquisas consistentemente sugerem que 6% dos americanos acreditam que esses pousos foram forjados e que não poderiam ter acontecido. A série de aterrissagens, uma das maiores apostas da raça humana, foi um truque elaborado para aumentar o orgulho nacional, insistem muitas pessoas.

Eles examinam fotos de missões, em busca de sinais que indiquem falsificações em estúdios. Essas pessoas argumentam que a bandeira americana estava balançando no que deveria ser o vácuo do espaço. Eles exageram nos riscos à saúde de se realizar uma viagem através dos cinturões de radiação que circundam nosso planeta; entendem a destreza tecnológica do programa espacial americano; e alegam assassinato por trás de todas as mortes do programa, relacionando-as a uma conspiração maior.

Não existem evidências críveis para respaldar essa visão. A clara improbabilidade do sucesso num esquema tão grandioso, e o fato de mantê-lo em segredo durante quatro décadas, confunde nossa imaginação. Apesar disso, esses contestadores continuam a acumular acusações até hoje. Eles são apoiador por filmes como um documentário, exibido na Fox em 2001, e "A Funny Thing Happened on the Way to the Moon" (em tradução livre, "Algo Engraçado Que Me Aconteceu No Caminho Para a Lua"), de Bart Sibrel, cineasta de Nashville, Tennessee.

"Eles são pessoas normais, inteligentes, que compraram essa ideia de teorias da conspiração", disse Philip Plait, astrônomo e autor que contesta teóricos conspiracionistas ponto a ponto, e o faz de maneira severa em seu site, o "Bad Astronomy". Ele é uma das várias pessoas que se juntam à luta para afirmar que "isso aconteceu". Um esforço conjunto, sediado no endereço www.clavius.org, ridiculariza os opositores com gosto; seu principal autor, Jay Windley, deu o nome ao site em homenagem à base lunar do clássico de Arthur C. Clarke, "2001: Uma Odisseia no Espaço".

Embora as chamadas provas dos conspiracionistas possam ser claramente contestadas, disse Plait, entendê-las pode exigir um conhecimento de história e fotografia, além de ciência e suas metodologias. "Você tem de fazer o trabalho; tem de trabalhar duro", ele disse, "e a maioria das pessoas não faz o trabalho. Então, essas lendas progridem".

Argentino
Marino, autor do comentário no blog Lens, é um arquiteto de 31 anos nascido na Argentina. Em entrevista por e-mail, ele afirmou que a corrupção política durante os anos de ditadura em seu país moldou sua forma de pensar: "Comecei a perceber como opera a corrupção política e como se comporta o interesse dos poucos que estão no poder".

Em suas viagens pelo mundo – ele hoje vive e trabalha na China –, Marino leu livros afirmando que as aterrissagens na Lua foram forjadas e assistiu a documentários, incluindo o de Sibrel, disse ele, que mostram um retrato obscuro da manipulação política durante a administração de Nixon e, de alguma forma, relaciona a Guerra do Vietnã, o Titanic e a Torre de Babel, antes mesmo de chegar às supostas provas fotográficas do engodo lunar. Sibrel, que vende seus filmes online, perseguiu os astronautas da Apollo com a Bíblia na mão, insistindo que eles jurassem diante das câmeras que tinham caminhado sobre a Lua. Ele irritou tanto o astronauta Buzz Aldrin, em 2002 – assediando-o com a Bíblia e o chamando de "covarde, mentiroso e ladrão" –, que Aldrin deu um soco no rosto do cineasta. Autoridades policiais se recusaram a abrir processos contra Aldrin, o segundo homem a pisar na Lua.

Em entrevista, Sibrel disse que seus esforços para provar que o homem nunca caminhou sobre a Lua custaram caro. "Só sofri perseguições e perdas financeiras", disse ele. "Perdi o direito de visitar meu filho. Fui expulso de igrejas. Tudo isso porque acredito que os pousos na Lua são fraudes".

Ted Goertzel, professor de sociologia da Rutgers University e estudioso sobre teóricos da conspiração, disse que "existe um tipo similar de lógica por trás de todos esses grupos". Na maior parte das vezes, ele explicou, "eles não tentam provar que seu ponto de vista está correto" tanto quanto tentam "encontrar falhas no que o outro lado está dizendo". Assim, disse ele, o argumento é uma questão de acumulação, não de persuasão. "Eles acham que, se tiverem mais fatos que o outro lado, isso mostraria que estão corretos."

Mark Fenster, professor da University of Florida Levin College of Law e autor profícuo sobre teorias da conspiração, afirmou enxergar similaridades entre pessoas que argumentam que os pousos na Lua nunca aconteceram e aquelas que insistem que os ataques do 11 de setembro foram planejados pelo governo, e que a certidão de nascimento do presidente Barack Obama é falsa: no fundo, disse ele, a polarização é tão profunda que as pessoas acabam com a crença solidificada de que aqueles no poder "simplesmente não merecem nossa confiança".

O surgimento da internet como meio de comunicação, observou o estudioso, torna possível para que os conspiracionistas, antes espalhados, possam encontrar uns aos outros. "Isso faz com que a teoria continue a existir, continue disponível – não é apenas mais um livro empoeirado na prateleira dos títulos com 50% de desconto".

Adam Savage, coautor do programa de televisão "MythBusters", passou um episódio inteiro desmentindo boatos sobre a chegada do homem à Lua, ponto a ponto, de forma divertida e convincente. Os teóricos conspiracionistas, observou ele, nunca desistem. "Eles dizem que você tem de manter a mente aberta", disse ele, "mas rejeitam qualquer prova que não seja coerente com a tese deles". Para aqueles que realmente foram à Lua – mencionei que os astronautas chegaram, sim, à Lua? Seis vezes? – as teorias de conspiração são simplesmente irritantes.

Harrison Schmitt, piloto do aterrissador lunar durante a última missão da Apollo, que tempos depois se tornou senador dos Estados Unidos, disse em entrevista que o péssimo estado nas escolas do país tem tido resultados previsíveis. "Se as pessoas decidem que vão negar os fatos da História, da ciência e da tecnologia, não há muito o que fazer com eles", disse Schmitt. "Por grande parte deles, eu só sinto muito por termos falhado em sua educação."


Fonte G1

sábado, 4 de julho de 2009

Promotoria de SP investiga compra e venda de dados sigilosos

Proprietário disse que não sabia que procedimento era ilegal.

Site cobrava R$ 25 e taxa de consulta por informações.

Do G1, com informações do Jornal Nacional


Uma investigação do Ministério Público de São Paulo pôs em xeque a divulgação de dados pessoais sigilosos, uma prática ilegal que tem se multiplicado no Brasil. O alvo é uma empresa que funciona em um prédio no Morumbi, na Zona Sul de São Paulo, e que mantém uma página na internet.


Veja o site do Jornal Nacional

Para ter acesso ao site, bastava pagar R$ 25 por mês, mais uma taxa por consulta. O próprio site dá um exemplo, com dados fictícios. Digitando apenas o CPF de alguém, é possível descobrir o endereço, os telefones, inclusive os celulares, e os contatos de pessoas próximas. Também é possível saber que carro a pessoa tem, a placa, o Renavam, o chassi e o ano de fabricação.

Na manhã desta sexta-feira (3), um funcionário da empresa disse, por telefone, de onde vêm as informações. “A origem dos dados são fontes do Detran, dos emplacamentos. Uma empresa que é conveniada a eles, entendeu?”, disse o entrevistado.


A empresa oferece ainda dados sobre cheques sem fundos, pendências, protestos. Ao ser perguntado sobre como eles conseguem informações sobre cheques, o funcionário diz que “vêm do Banco Central”, por meio de uma empresa terceirizada que passa as informações.

Segundo a empresa, os principais clientes são empresas de cobrança, instituições financeiras, advogados e comerciantes que fazem 2 milhões de consultas por mês. Por telefone, o funcionário acrescentou policiais civis de São Paulo e do Rio de Janeiro.

“Nós temos grandes clientes, o Deic [Departamento de Investigações sobre o Crime Organizado], a Polinter, são empresas de segurança, né?”, diz o funcionário. “Segurança Pública, que utilizam o nosso sistema. Delegados e diversas delegacias são clientes nossos”, complementa.

Autoridades e famosos

Durante a investigação, os promotores se tornaram clientes da empresa. Eles constataram que era mesmo possível acessar dados sigilosos de qualquer um, inclusive de pessoas famosas como jogadores de futebol e de autoridades do Executivo, do Legislativo e do Judiciário.

Os promotores imprimiram os dados sobre eles mesmos e enviaram ao juiz que, diante da força da prova, autorizou a busca e apreensão de material. Nos arquivos de computador apreendidos, os promotores esperam encontrar o nome de quem forneceu e de quem comprou os dados da empresa.

“São dados protegidos e somente disponibilizados mediante autorização judicial. Atinge não só a intimidade, como também viola as restrições do sistema financeiro, chegando inclusive à segurança de autoridades dos Três Poderes, que gozam de proteção oficial e se encontram absolutamente vulneráveis”, disse o promotor Luiz Henrique Dal Poz.

Outro lado

Desde a operação da promotoria, o site da empresa não aceita novos clientes. Em depoimento, o dono da empresa disse que não sabia que exercia uma atividade considerada ilegal.

O Banco Central informou que não faz levantamentos sobre cheque sem fundos. No Rio de Janeiro, a Polinter declarou que não precisa do serviço de empresas particulares porque os policiais têm senhas que dão acesso a informações oficiais sobre qualquer cidadão.

O Deic, que combate o crime organizado em São Paulo, também afirmou que trabalha dentro da legalidade, e o Detran de São Paulo declarou que todos os dados são mantidos em ambiente seguro e que espera que a investigação diga de onde partiam as informações.


Fonte: G1


______________________


Poxa, até quando ficaremos a mercê daqueles que querem ter um pouco de poder?
Veja: Não estou me referindo aos que pagam as taxas desse pessoal ai. Mas sim, que os políticos tem acesso nisso tudo, de graça.
Quer dizer: Estamos mesmo é comendo nas mãos deles, pessoas essas que "Eu" não confio nem num voto. Não confio! Não confio! Não confio!
Pra mim, eles são oportunistas para botar a mão em bons salários e boas comissões. Isso sim.
Imagina só... ladrões tendo acesso a toda sua vida?
Absurdo!
Esse dados são só sigilosos para nós, povo brasileiro.
Ih!!! Esses Illuminatis !!!!!

sexta-feira, 3 de julho de 2009

Raphael Veronese: Pianista e Compositor


Primeiramente, estou criando este "post" justamente pela qualidade musical desse grande músico, Raphael Veronese.

Em se tratando de qualidade e talento, você não precisa se preocupar.

Digo as vezes que ele é o "Yanni Brasileiro", pois consegue pôr na canção, um sentimento. Isso é muito bom!

É bom poder ouvir algo que se alinha com o momento, sentimento, emoção... e em suas músicas, isso acontece.

Desde que o conheci, no começo de 2006, me tornei um fã dele, que pela simpatia, também me conquistou.

Hoje, Raphael está preparando o seu novo álbum, que em breve, será lançado.



Caravana é o título do cd. Lançado em 2006, apresenta um belíssimo repertório e com músicas consagradas como "Interior".



O cd Caminhos, lançado em 2007 trás canções como "O Vale Sagrado, Lembranças de Um Grande Amor", entre outras


Ouça....






http://adsupport.myspace.com/index.cfm?fuseaction=rockthespace.fan&sproutid=OwAYIsfaCCCSs1SN



Biografia
____________________________________________________________________________


Jovem pianista e compositor nascido em Nova Friburgo - RJ - Brasil, identificou-se com a música, desde a infância, fascinado quando ouvia seu pai advogado e pianista amador tocar músicas clássicas e depois tentava imitá-lo.

Estudou no Conservatório Brasileiro de Música em sua cidade, época em que surgiram as primeiras propostas para apresentar-se em Bandas, entre elas “Flor da Jamaica”, “Lady 57” e “Asa de Luz”, tendo nessa última maior destaque, gravando dois CDs, um deles com a participação especial do renomado músico Marcus Viana;

Esses fatos tornaram-se marcantes em sua carreira artística, iluminando-o e incentivando-o a montar o próprio estudio, realizando gravações, produções diversas para os músicos locais, jingles e vinhetas para rádio e televisão;

Em 1995, por ocasião de uma viagem à França, gravou um K7 com músicas inspiradas nos “Pirineus” e enviou uma cópia da fita para a gravadora francesa SP Music, sediada em Paris, tendo recebido, meses mais tarde, um convite comercial;

Sempre com a música correndo em suas veias, despertou para um sonho maior: compor e produzir o seu próprio CD;

Mesmo admirando e executando na prática, músicas de outros estilos, a semente plantada em sua infância germinou com composições que refletem passagens de sua vida, na busca de equilíbrio interior, lançando assim seu primeiro CD “Interior” em 2002;

Em 2003, a convite do Sesi, apresentou-se em diversas indústrias levando com sua música, sentimentos de paz e tranquilidade aos seus funcionários. Durante a sua trajetória e a convite de várias empresas, realizou apresentações em eventos, muitas vezes acompanhado pelo saxofonista do corpo de bombeiros do Rio de Janeiro Rodrigo Costa, juntos eles também apresentam um trabalho instrumental com um repertório bem eclético desde MPB como Tom Jobim, Djavan e internacionais como Frank Sinatra, Phil Colins, Elton John ao som de sax e piano.

Em 2004 foi convidado por Luiz Gasparetto à compor duas trilhas sonoras que vem sendo executadas no “Espaço Vida e Consciência” em São Paulo;

Final de 2005 terminou o seu segundo trabalho solo “Caravana” com músicas que nos transportam ao deserto e ao antigo Egito, sempre inspirado com a intenção de transmitir a paz através de suas composições. Lançando assim em 2006 seu belíssimo CD temático “Caravana” no teatro Ir. Sania Cosmelli da Faculdade de Filosofia Santa Dorotéia, em homenagem a seu saudoso avô que lá fora inspetor.

Atualmente Raphael vem trabalhando em seu terceiro CD com características românticas, melodias suaves com algumas dançantes. Suas músicas vem sendo tocadas em rádios new age norte americanas, como a rádio monadfm: www.monadfm.com

www.raphaelveronese.com
- Laurent B. Guimaraes,
New Canaan, CT – October, 2006
Tradução: Débora Brunnet



quinta-feira, 2 de julho de 2009

Cientistas Encontram Genes de Extraterrestre em DNA Humano


14/01/2007

O mistério do DNA: uma sequência indecifrada de genes guarda o segredo da origem da espécie humana. O Projeto Genoma foi além do esperado e os cientistas estão perplexos com a descoberta de material genético que não pertence ao planeta Terra. A descoberta confere um tom a mais de credibilidade às hipóteses da origem humana como resultado de colonização da Terra realizada por viajantes cósmicos, que vieram "dos céus", como nos relatos mitológicos de culturas antigas de todo o mundo.

Cientistas que estão trabalhando do projeto Human Genome (Projeto Genoma) ficaram perplexos diante de uma descoberta: eles acreditam que 97% das chamadas "sequências não-codificadas" do DNA humano correspondem a uma porção de herança genética proveniente de formas de vida extraterrestre!

Essas sequências não-codificadas são comuns a todos os organismos vivos da Terra, do mofo, aos peixes e aos homens. No DNA humano, as sequências constituem grande parte do total do genoma, informa o profº Sam Chang, líder da equipe. Chamadas "junk DNA" (DNA-lixo - porque, a princípio, pareciam não servir para nada), as seqüências foram descobertas há anos atrás e sua função permanece um mistério. O fato é que a maior parte do DNA humano é "extraterrestre".

As sequências foram analisadas por programadores de computador, matemáticos e outros estudiosos. Com os resultados o profº Chang concluiu que o "DNA-lixo" foi criado por algum tipo "programador alienígena". Essa parcela de código genético é determinante de atributos, muitas vezes indesejados, como a imunidade de um organismo às drogas anti-cancer.

Os cientistas estão admitindo a hipótese de que uma grandiosa forma de vida alienígena está envolvida na criação de novas formas de vida em vários planetas; a Terra é apenas um deles. Não se sabe com que propósito tal experiência foi e/ou está sendo feita: se é apenas um projeto científico já concluído, em acompanhamento, uma preparação dos planetas para uma colonização ou ainda, um compromisso de espalhar a vida por todo o universo.

Segundo um raciocínio com base em padrões humanos, os "programadores extraterrestres", provavelmente, trabalham em muitos projetos voltados para a produção de diferentes estruturas biológicas em vários planetas. Devem estar tentando soluções para inúmeros problemas.



Projeto Genoma & Origens Extraterrestres da Humanidade

O profº Chang é apenas um dos muitos cientistas que acreditam ter descoberto as origens extraterrestres da Humanidade. Chang explica que o DNA é um programa que consiste em duas "versões" (ou de dois conjuntos de informações): um código master e um código básico. O código master possivelmente não tem origem terrena.

Os genes conhecidos, por si mesmos, não explicam completamente a evolução. Mais cedo ou mais tarde, a humanidade deverá ser informada de que toda a vida na Terra tem um código genético herdado (ou "plantado" por ) de seus "primos" extraterrestres e que a evolução não ocorreu do jeito que se acreditava até então.

Além do material genético, é também possível que os extraterrestre estejam aqui mesmo, acompanhando de perto o desenvolvimento da raça humana e disseminando mais intensamente suas "sementes estelares" (star-seeds). Estes seres, "infiltrados", que estão sendo chamados de star-people ou star-children, são descritos pelos escritores Brad e Francie Steiger como indivíduos cujas almas deveriam ou poderiam estar encarnadas em mundos de outros sistemas solares, mas que vieram à Terra, nascendo em famílias humanas, para empregar seus esforços em auxiliar no processo de evolução da Humanidade.

Pessoas que alegam ter contactado estes seres, consideram-nos benevolentes ou "do bem". Entre os "contactados" alguns são conhecidos nos meios científicos: George Adamski, Orfeo Angeluci, George Van Tassel, Howard Menger, Paul Villa, Billy meier, Alex Collier. Freqüentemente, os encontros entre humanos e "infiltrados" são comprovados por evidências físicas, como fotografias e filmes, além dos testemunhos.

Erich von Däniken no interior da pirâmide de Gizé, Egito. DIREITA: Zecharia Sitchin, lingüista, especialista em escritas antigas, estudou os caracteres cuneiformes e elaborou a hipótese do 10° planeta do sistema solar, chamado Nibiru, com base no conhecimento que resgatou da mitologia Mesopotâmica. O 10° planeta seria a morada dos "mestres" e colonizadores da Terra, viajantes cósmicos: os Anunnaki, que voltam, a cada 3 mil e 600 anos, para as vizinhanças da órbita terrestre.

Astronautas

Muitos pesquisadores escreveram livros sobre a "teoria do deuses astronautas": uma raça de extraterrestres inteligentes que teria visitado e/ou colonizado a Terra em um passado remoto, durante um tempo que foi empregado em "aperfeiçoar" ou manipular a vida e a raça humana, fazendo de um primitivo hominídeo, como o homo erectus, o atual homo sapiens.

Um dos argumentos em que se apoia essa idéia é a improbabilidade de surgimento do sapiens de maneira súbita, um processo que fere os princípios do darwinismo ortodoxo; além disso, nos mitos encontrados nas culturas das mais antigas civilizações, existem descrições de eventos protagonizados por "deuses semelhantes a homens", que aparecem vindos do céu e criam a raça humana "à sua própria imagem e semelhança". O homem contemporâneo, em tudo lembra um ser híbrido, uma combinação genética de material extraterrestre com a herança do homo erectus.

Antes dos avanços tecnológicos e científicos que permitiram ao homem fazer viagens espaciais e manipular a vida através da engenharia genética, essa teoria da origem extraterrestre da raça humana, não podia ser concebida. Mesmo agora, no século XXI, existem muitas pessoas que consideram essa possibilidade uma fantasia de ficção científica.

Entretanto, as mais recentes descobertas no campo da genética entram em choque com as teorias ortodoxas da evolução enquanto a hipótese de uma intervenção de uma espécie inteligente semelhante ao homem vai deixando de ser um mero produto da imaginação. Os mais famosos entre os expoentes da teoria da intervenção de astronautas na antigüidade são o suiço Erich von Daniken [autor de Eram os Deuses Astronautas - LINK: WEBSITE] e o lingüista americano Zecharia Sitchin [link: Os Anunnaki: os deuses astronautas da Suméria].



Os Grupos de EXOPOLÍTICA

Dr. Michael E. Salla, autor de Exopolitics: Political Implications of the Extraterrestrial Presence (Dandelion Books, 2004) - é um dos fundadores do movimento de Exopolítica, cujo objetivo é obter a abertura das fontes de informação e o diálogo - com e sobre - os extraterrestres, pela afirmação de uma "democracia global" e pela qualidade de vida da raça humana como seres responsáveis e conscientes de que habitam o Universo. Sr. Salla revela que "Existe um grande número de raças extraterrestres conhecidas (por várias instituições) e elas estão interagindo com o planeta e a população humana".

Em 1998, o sargento aposentado das Forças Armadas Norte-Americanas (U.S. Army), Clifford Stone, que serviu por 22 anos, disse em entrevista que participou de operações de "resgate" (ocultamento?) de naves extraterrestres e de criaturas alienígenas - também. Stone disse existem várias raças de extraterrestres. É dele um dos testemunhos colhidos pelo D. Salla em uma série das mais completas já elaboradas.

Outro depoimento é o de Bob Dean, militar com 27 anos de carreira e muitas distinções: "Entre os extraterrestres que conhecemos existe um grupo que se parece muito conosco; podem estar sentados ao seu lado no avião ou num restaurante e ninguém perceberia a diferença."

Aparentemente, "Raças humanas extraterrestres podem se integrar facilmente nas sociedades humanas pois são indistingüíveis." Um terceiro relato é o de Allex Collier, que afirma ser "um contato" - "uma variedade de extraterrestre que fornece material para experimentos com humanos." - Collier acrescenta que: "Os humanos da Terra são um produto de manipulação genética realizada por extraterrestres. Os humanos sapiens possuem uma herança genética e seu código de DNA é semelhante a um banco de muitas diferentes memórias raciais que podem chegar a combinar elementos provenientes de 22 raças diferentes.

Zecharia Sitchin, lingüista que decifrou/traduziu antigas escrituras cuneiformes da Suméria, descobriu registros de antigos visitantes extraterrestres. Há 300 mil anos atrás os Anunnaki, do planeta Nibiru, começaram a colonização da Terra. A base de suas atividades foi a engenharia genética, por meio da qual aperfeiçoaram o homem primitivo e fizeram surgir o homo sapiens. Até hoje, símbolos esotéricos arcaicos são renovados e continuam guardando o segredo da espécie humana. A dupla hélice de DNA foi desenhada milhares de vezes ao longo da história; estilizada, duas serpentes entrelaçadas, como no emblema conhecido como caduceu - o bastão de Hermes, signo da medicina e da sabedoria desde tempos imemoriais.

Espiritualidade Religiosa

Alex Collier diz que os "ET-humanos" estão interessados em "assegurar que a humanidade como um todo, possa se desenvolver com senso de responsabilidade sem ameaçar a si mesma nem à grande comunidade galáctica da qual fazem parte. Um dos pré-requisitos para isso é elevação da consciência humana (aprimoramento), que deve começar com a implantação da unidade religiosa."

Collier, que alega ter contato com ETs, alerta que as mensagens religiosas fundamentalistas, no cristianismo, judaísmo, islamismo e outras tantas seitas são elementos hostis, de manipulação e controle da raça humana.



Jesus

Alguns pesquisadores defendem a idéia de que Jesus era um ET-humano que se empenhou em inspirar um sentimento social de Unidade; Jesus não criou nem pareceu pretender criar uma "religião Cristã" repressora da sexualidade, homofóbica, tantas vezes racista [como nas Idades Média e Moderna] e legitimadora de atrocidades como como a escravidão.

Os contatos extraterrestres de Collier informam que Jesus, de fato, existiu e não morreu na Cruz; sequer teria sido crucificado. A crucificação seria um relato simbólico, uma alegoria. Jesus teria vivido o resto de sua vida na histórica fortaleza judaica de Massada, último foco de resistência das forças israelitas contra o domínio romano.

Figuras como Jesus têm vindo à Terra periodicamente a fim de combater a saturação espiritual das massas que ficam entorpecidas pela mensagem de um sistema de crenças que enfraquece a capacidade de evolução individual e coletiva.

As religiões institucionalizadas legitimam a criação e manutenção de uma elite dirigente opressiva, que se auto-estabelece como juízes da moralidade. As elites religiosas, historicamente, têm abusado de suas regras autogeradas para exercer controle social. A religião se torna um agente colaborador e complementar ao Estado e, o que é pior, à serviço do projeto econômico que orienta o Estado. Os ETs-humanos querem "ajudar a humanidade a se libertar das estruturas de opressão através da educação edodespertar da consciência."



Eles estão Entre Nós

Em Extraterrestrials Among Us, artigo publicado em outubro de 2006, Salla afirma: "Existem evidências impressionantes, provenientes de um fontes independentes de que extreterrestres semelhantes a humanos vivem integrados com as populações dos grandes centros. Muitos relatos, de pessoas comuns, descrevem encontros com extraterrestres que transitam incógnitos entre os cidadãos das maiores cidades do planeta.

George Adamski foi o primeiro a escrever sobre os extraterrestres que vivem secretamente. Em Inside The Flying Saucers, segundo livro não-ficcional de Adamski, há o relato das experiências de contato com os alienígenas e como eles seestabelecem em sociedade, vivendo como qualquer um, tendo emprego,vivendo em condomínios, dirigindo carros.



Oito Galáxias - 135 Bilhões de Seres Humanos

Alex Collier diz que os ETs revelaram que existem mais de 135 bilhões de seres humanos em oito galáxias próximas à galáxia da Terra (a Via Láctea). Collier, que diz já ter viajado à bordo de uma nave, comentou que "Nó temos uma péssima reputação porque somos a única raça humana que mata e atormenta a si mesma, que permite a si mesma viver na pobreza; a única raça de homens que vivem sob o jugo de outros homens, que têm indivíduos sem-teto em sua sociedade, queescraviza a si mesma. Os ETs não entendem porque fazemos isso

FONTES & LINKS
Scientists find Extraterrestrial genes in Human DNA por John Stokes
THE CANADIAN - acessado em 14/01/2007
WEBSITE Zecharia Sitchin
acessado em 14/01/2007
ANUNNAKI: Os Deuses Astronautas da Suméria
acessado em 14/01/2007

tradução: Ligia Cabús (Mahajah!ck)

Fonte
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Vídeos

Loading...